Cases

O Brasil investe somente 2,5% do PIB em obras de infraestrutura, e precisaria, até 2018, dobrar esse valor para suprir todas as carências do setor¹, que abrange as áreas de saneamento, energia e logística.

Visando atender as necessidades do setor e buscar sustentabilidade para seus investimentos, a INFRA possui gestão ativa e acompanhamento contínuo dos projetos das investidas.

¹Fonte: Estado de S.Paulo

A INFRA explora oportunidades no mercado nacional de geração de energia elétrica por meio do fundo Energia PCH FIP. Com projetos sólidos para o setor, o FIP participa desde a fase de identificação e elaboração de projetos até seu desenvolvimento completo, possuindo um portfólio de usinas de pequeno e grande porte, em diferentes estágios de desenvolvimento, sempre mantendo o foco na minimização do impacto ambiental.

Entre os projetos, estão as PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas), que exigem menor investimento em sua construção que as hidrelétricas convencionais, bem como inundam áreas menores, com menos impacto no ambiente. Além disso, a possibilidade de instalação em rios menores descentraliza a geração de eletricidade no país, reduzindo as perdas elétricas na transmissão da energia até o centro consumidor.

A INFRA também investe em um projeto de usina termoelétrica a carvão, que prevê a utilização do rejeito das carboníferas da região para a geração de energia elétrica, reduzindo o atual passivo ambiental da região.

  • Juruena: Energia Responsável
    O projeto Juruena é um empreendimento voltado para a geração sustentável de Energia elétrica, e consiste na construção de 5 PCHs em um trecho de aproximadamente 70 quilômetros do Rio Juruena, em Mato Grosso.

    A energia gerada pelas PCHs é a fio d’água, ou seja, sem acumulação em reservatórios, gerando energia limpa com o menor impacto ambiental. Juntas, as cinco PCHs são responsáveis por mais de 90 MW de Potência Instalada.
  • DESA Térmicas
    A DESA Térmicas é uma SPE (Sociedade de Propósito Específico) que controla a USITESC - Usina Termelétrica de Santa Catarina S.A., localizada no município de Treviso, Santa Catarina. A região possui uma ativa indústria de beneficiamento de carvão, que gera rejeitos que atualmente não são aproveitados, gerando um grande passivo ambiental na região. Para a mitigação desse passivo, a termelétrica utilizará o subproduto do beneficiamento do carvão para a produção de sua energia, reduzindo seu impacto ambiental, com Potência Instalada de 300 MW.
  • DESA Garças
    A DESA Garças é uma SPE (Sociedade de Propósito Específico) que desenvolveu estudos hidrológicos para implantação de 11 Pequenas Centrais Hidrelétricas no Rio das Garças, localizado no sudeste do Mato Grosso.

    O FIP Energia participa desse projeto desde a fase de identificação dos aproveitamentos, realizando o inventário do Rio Garças, até os Projetos Básicos das usinas, com a finalidade de obtenção das outorgas de exploração das PCHs. Durante todo o processo, o FIP exerce presença e atuação constante na investida, buscando cumprir com os mais rigorosos regulamentos, respeitar a legislação ambiental, e mitigar riscos. Com investimento estimado em R$ 1,2 bilhão, as 11 PCHs da Desa Garças terão Potência Instalada de 175 MW.

Login

Esqueci minha senha